terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Quebrando Mitos: Desfragmentar cartão de memória funciona?

cartoes-memoria

Já ví em alguns blogs e fóruns de redes sociais sobre a importância de desfragmentar a memória em massa e/ou cartão de memória do telefone, pois como o desfragmentador reorganiza os arquivos do HD, o acesso a eles é mais rápido, mas será que isso funciona para os cartões de memória?

 

 

images

Primeiro temos que pensar no funcionamento dos HDs. É quase como um toca discos ou um CD player: um ou mais discos duros de metal que giram num eixo rapidamente. Uma cabeça de leitura se move para “encontrar” os arquivos na superfície do disco. Isso leva um tempo, chamado “tempo de acesso”. Se os arquivos estão fragmentados, a cabeça de leitura leva mais tempo para acessar os “pedaços” do arquivo espalhados pelo disco.

Já a memória dos celulares e os cartões de memória são chamados de “memória flash”, que basicamente é um “chip” de memória não volátil (significa que os arquivos são preservados mesmo quando não há energia, ao contrário da “memória RAM”, que também é um tipo de memória flash). Como não há partes se movendo o acesso aos arquivos é muito mais rápido. Mesmo que os arquivos se fragmentem o tempo de acesso a eles é o mesmo. O sistema não fica “procurando” os pedaços dos arquivos, como num HD o que torna a desfragmentação inútil.

Uma das limitações da memória flash é um número finito de modificações (escrita/exclusão). O tipo mais comum de memória flash usada nos cartões de memória e pen-drives é a “MLC” (Multi Level Cell) que são mais baratas e compactas mas que impõem um limite de aprox. 10.000 operações de escrita. Se modificações na memória diminuem sua vida útil, a desfragmentação de arquivos se torna uma vilã, pois os arquivos serão movidos e reescritos na memória, diminuindo sua vida útil.

Então Desfragmentar cartão de memória funciona? Não, é mito!

O mesmo vale para discos SSD e pen-drives.

Texto feito por mim. Se for copiar, por favor, coloquem os créditos a mim, Mateus Marques Martinelli.

5 comentários:

  1. No entanto a gravação de arquivos grandes em tempo real, como em vídeos por exemplo, a velocidade de gravação fica comprometida, como observei em meu S60v5. Quando meu SD está fragmentado e gravo um vídeo em alta qualidade o resultado é um congelamento na imagem devido a uma "confusão" na hora de gravar os arquivos no cartão, já quando desfragmento a gravação ocorre ininterrupta e o video fica intacto. Nos S40, como não há funções onde um fluxo de gravação intenso é exigido esse detalhe passa despercebido. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo. Mesmo supostamente fragmentado, o início e processo de gravação do video ocorre tranquilamente tanto no S60v5 quanto no S60v3 e até mesmo num S^3 assim como num S40. Claro que cartões de memória ruins são excessão nesse caso. Enfim, continuo afirmando que desfragmentar diminui a vida da memória Flash e que não influencia em seu desempenho, até que se prove ao contrário.

      Abraço

      Excluir
  2. Desfragmentar realmente diminui a vida útil da memória flash, na verdade, transferir qualquer tipo de arquivo diminui. A desfragmentação não é inútil como notei no meu cartão de memória original, sem muito tempo de uso. Muitos usuários também já passaram por esta experiência em seus smatphones, talvez o seu seja uma exceção. ^^

    ResponderExcluir
  3. Tá bom que é mito, utilize um ps2 ou um gamecube via cartao de memoria e vc verá o resultado, se a iso estiver fragmentada o jogo não funciona ou seja não é mito tem como desfragmentar e fragmentar sim a unica solução que tive até agora é formatar e colocar tudo de volta.

    ResponderExcluir
  4. O camarada Lucas está correto. Não fragmenta? É por que a leitura do PS2 ao pen drive não eh feita devidamente correta por o novo está fragmentado, nem ao menos inicia o jogo. Há a necessidade de formatar o pen e por o novo novamente. Mito, nem sempre!

    ResponderExcluir